Porque ler ou assistir "Cinquenta Tons de Cinza" é má ideia



Não queria e relutei por meses em escrever algo a respeito deste assunto.

Sei bem que faz parte da estratégia de marketing do livro/filme trazer essa controvérsia entre as pessoas justamente para fazer a propaganda dos mesmos.

Mas, depois de muitos pedidos, precisei levantar minha voz em aviso.

Este post é meu comentário sobre o texto que escrevi para o site Familia.com.br que tem trazido bastante controvérsia e backlash em relação ao filme Cinquenta Tons de Cinza, que você pode ler na íntegra neste link:


O artigo foi publicado há pouco mais de 24 horas, e se tornou viral. Já foi visto por centenas de milhares de leitores, que inundaram minhas mensagens no Facebook com apoio e também crítica.

Entendam, o que escrevi ali não é uma exortação, nem um julgamento, Não irei bater boca com quem discorda, nem estender minhas razões a quem me "desafia". Não irei protestar na porta do cinema, nem mesmo dizer que você está errado se leu e assistiu. O artigo não condena quem leu, nem quem concorda ou gosta do conteúdo do mesmo, que conheço bem por exercício da profissão.

Mais do que ninguém, sou a primeira a respeitar sua escolha, porque acredito que cada um é responsável pelas próprias. Acredito profundamente que todas as escolhas que fazemos trazem consequências, e nem sempre somente a nós, mas àqueles que amamos. E acredito piamente que tudo o que fazemos, seja face a face ou em segredo, através de um computador ou qualquer outro meio, é computado em nosso "HD individual" ou seja, nossa própria mente, nosso livro da vida, que será aberto um dia perante o trono do Altíssimo.

Mesmo aqueles que me deixaram mensagens contrárias, que extremizaram e acabaram julgando e demonizando a minha pessoa, minha profissão, meu casamento, o que faço entre quatro paredes com meu marido (relacionamento "baunilha"? Pode ter certeza que não!), meus relacionamentos, minha família, minhas razões, crenças e motivos, digo com sinceridade:

Muito obrigada!

Respeito sua opinião e o direito que você tem de externá-la. 

O que escrevi, e o fiz de forma educada e cuidadosa, foram apenas conselhos que uma amiga verdadeira, que teme a Deus, lhe daria, porque acredito que amizade não é concordar com tudo e sou bastante grata àqueles que usam de honestidade e me dizem a verdade, principalmente a Divina. E repito alguns deles.

Apoiar esse tipo de 'literatura/filme' é abrir as portas para que mais sejam produzidos. Se você acha que indo ao cinema assistir e deixando as crianças em casa não há problema, você só está na verdade patrocinando a produção desse tipo de "obra".

Só uma pergunta que fica:

Qual é o limite de pornografia/erotismo/sexo sem compromisso que você permite em sua vida, incluindo seu casamento e família?

Se seus filhos hoje são pequenos ou mesmo já grandes, não importa. 

Eu acredito que absolutamente zero, nenhum, nada, nothing é o aceitável. Em algum momento, mais cedo ou mais tarde, isso entrará no caminho da felicidade, seja como indivíduo, como cônjuge ou como pais ou mães.

Ainda não encontrei um livro infantil que contenha sexo/sadomasoquismo/sexo livre/sexo indiscriminado/palavreado chulo e outros tipos de pornografia mascarada para ensinar crianças sobre o amor.

Ah, mas o que isso tem a ver com meus filhos?

Simples, se você acha que esse tipo de leitura não tem problema e até contribui para sua produção/propaganda, deve saber que isso chegará a seus filhos um dia, se não por você, de outra forma.

Aliás, por que você acha que a pornografia e a fornicação são coisas que devem ser consideradas normais? Porque todo mundo faz? Faça um exercício de consciência e vá mais ao fundo dos seus motivos, ou de como foi ensinada, e verifique se isso realmente é o que você sempre sonhou para sua vida.

A pornografia aparecerá com certeza em nossa frente ou na frente de nossos filhos. Isso é certo. O mais importante é como lidaremos com ela. E como nossos filhos lidarão quando acontecer, tendo ou não alguém lhes dizendo o que devem fazer ou não.

Mas não é porque ela existe na TV, no Carnaval, em tantos livros e filmes, que eu preciso fazer disso uma coisa normal. Leiam novamente meu texto no site Familia.com.br. Não é puritanismo, hipocrisia. É apenas uma escolha.

Existem exemplos melhores para melhorarmos nossas vidas, nossos casamentos, sem precisarmos usar algo que tenha tudo de pior misturado como exemplo.




Popular Posts